Tropa de Elite em 3D, Eliane Faria e Lenine

Em torno do 25 de novembro
Show de Lenine na Lapa (Rio), novembre 2010, Clima de “Troupe d’Elite”, e Eliane Faria au Cariocando

Lenine, Arcos da Lapa, 25-11 (foto Daniel Achedjian)
Com um certo cinismo, pode-se dizer que a situação caótica que reina sobre o Rio de Janeiro traz à tona um clima adequado para se curtir o filme « Tropa de Elite 2 ». Em períodos de ansiedade, é sempre bom a gente ter heróis a quem recorrer.
Por outro lado, pode-se considerar também que não há razão para enfiar-se numa sala escura […]

A realidade ultrapassa a ficção, e as imagens que se desenrolam em série através dos canais de Tv (com esse formato bem « CNN », de apelar para um tom alarmista a fim de manter a audiência) pareceram bem mais frias do que aquelas que contam a saga do Capitão Nascimento, o protagonista do filme que está prestes a se tornar o maior sucesso do cinema brasileiro desses últimos 20 anos (ainda faltam 700 mil espectadores para desbancar « Dona Flor & seus dois maridos »).

 

O site Globoonline lançou ontem, 25 de novembro, em sua homepage, a manchete
« Guerra do Rio », apoiada pelas imagens dos blindados e pelo ruído dos helicópteros que sobrevoavam os diferentes bairros da « Cidade » que não tem no momento lá muita coisa de « Maravilhosa »…

 

Bom, mas esse não é o assunto central do site, mas é útil que se contextualize esse clima, para explicar a influência que esses eventos têm sobre a vida cultural.
Ainda cinicamente… As crianças ficaram contentes ao ver as escolas fechando seus potões por um tempo, e o trânsito nunca fluiu tão bem como ontem à noite. Em contrapartida, os ensaios das escolas de samba foram momentaneamente suspensos ; assim como certos eventos culturais foram cancelados. As pessoas simplesmente têm medo de sair.

 

Ontem à noite (quinta, 25 de novembro), uma nova tentativa de encarar uma dose dupla de shows. Como aperitivo ao espetáculo de  Lenine  nos Arcos da Lapa, eu tinha então chegado ao bar Cariocando para assistir a uma roda de samba conduzida por Eliane Faria , filha de Paulinho da Viola. Chegando ao local, o garçon me alertou que a roda não estava garantida, uma vez que uma centena de pessoas havia cancelado suas reservas pelas razões explicadas acima.

 

Dito isso, para aqueles que venham a passar pelo Rio, eu recomendo esse local encravado no bairro do Catete, que nos transporta à idade de ouro de um « Rio de amor que se perdeu » (vide Carta ao Tom 74). Depois de alguns momentos de hesitação, os músicos começaram a tocar, e diante de 6 pessoas (vosso criado aqui incluído), perceberam que, afinal de contas, nós estávamos lá para nos divertir. E eu posso confirmar que, mesmo a seis, nós conseguimos realmente nos divertir,
e simplesmente ignorar a televisão que transmitia os horrores do dia, saindo vitorioso o ritmo do samba…

Lenine, Arcos da Lapa, 25-11 (foto Daniel Achedjian)
Com relação a Lenine, também lá não compareceu uma multidão, com a chuva não colaborando muito com a situação. Mas mesmo assim, o grande artista de Pernambuco nos prestou um grande serviço, baseando o show em sua mais recente tournée :
« Labiata ».
Em cena, Lenine continua um felino incontrolável, apoiado por um som agressivo que lança acordes por vezes no limite da dissonância harmônica. Um artista sem concessões, a despeito de seu sucesso já absolutamente consolidado…

 

Nessa última quinta 25 de novembro, Lenine foi o primeiro (junto com o rapper mineiro Renegado na primeira parte do seu espetáculo) a abrir a série de shows do evento « Brasilidade », que ainda dará espaço, sucessivamente, no centro da cidade, a Arnaldo Antunes, Cachorro Grande, Céu, Otto, Adriana Calcanhotto, Wilson das Neves, Zeca Baleiro, Nei Lopes, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, Egberto Gismonti, e ainda muitos outros… Para os curiosos, as informações encontram-se nesse site…