A impressionante maturaçao de Mallu Magalhães: “Vem”

Mallu Magalhaes: "Vem"

A melhor fórmula para fazer um álbum com cores cintilantes da bossa-nova, bossa-jazz, sambalanço ou simplesmente pop, com deliciosas sonoridades, modernizadas, dos anos 60 (que teria uma repercussão internacional), seria fazer um disco brasileiro com cores cintilantes da bossa-nova, bossa-jazz, sambalanço ou simplesmente pop, com deliciosas sonoridades, modernizadas, dos anos 60 que teria uma repercussão internacional. E se este disco é a criação de uma cantora dona de uma voz radiante, oriunda da nova geração, acompanhada por sopros e cordas, um pouco no estilo americano dos anos 63-65, já teríamos umas boas cartas na mão. No entanto, o erro seria gravá-lo no Brasil, onde ele não ultrapassaria as fronteiras (sem garantia de sucesso), mas, sim, no Japão, nos Estados-Unidos, ou em Portugal, a porta de entrada da Europa, onde esta jovem cantora, que é Mallu Magalhães, residem precisamente há alguns anos, com seu esposo, Marcelo Camelo, ex-Los Hermanos. Como anedota, o casal se multiplica, por um outro lado, nos instrumentos.

Mallu Magalhaes

O resto da Europa sempre esteve atento aos artistas da “terrinha”, mesmo se aqui se trata de uma brasileira, e que o álbum tenha também sido concebido entre Rio e São Paulo. “Um álbum que não teria uma identidade especialmente brasileira”, é o desejo da moça de 24 anos que foi revelado em uma entrevista, e foi com esta perspectiva que ela compôs inteiramente “Vem”.
O fato é que “Vem” é o álbum mais brasileiro dos quatro que Mallu gravou, mas é assim que ela terá mais chances de conquistar outros horizontes.

*Entre os músicos: Dadi Carvalho (baixo), Mario Adnet (direção das cordas), Eduardo Neves (saxofone), Ricardo Alves (trombeta), Rodrigo Amarante (baixo), Ricardo Silva (arranjo dos sopros), Vitor Cabral (bateria), Davi Moraes (guitarra)… E que os outros queiram me perdoar por escutar a lista.
Mallu Magalhães: « Vem »- Sony Music- (ótimo)