Joao Gilberto que canta e é feliz (1)

Joao Gilberto
Joao & Astrud Gilberto (début 1960)

 

Blogs, sites, livros, biografias, vocês vao encontrar milhares sobre esse pequeno homen, mas enorme músico, que nos deixou aos 88 anos, sábado passado. Para evocar este violonista que, não so, inventou um jeito de tocar, mas, um jeito de cantar (um não se concebia sem o outro) dei-me 5 minutos, destilando as primeiras idéias ou memórias que me tinham marcadas. Fatos bem pessoais… Lembranças de três concertos, que, mesmo sem ser brasileiro, me permitiram ver seu violáo, e seu pequeno banco, onde parecia entrar em oração quando as luzes se apagavam. O único elemento realmente sofisticado era seu microfone, seu amplificador, e o som geral da sala.
Alias Joáo costumava usar dois micrófone em estudio (voz/ violáo), para mixar os dois elementos como ele queria. O desaparecimento, sábado, de João Gilberto é realmente um momento importante que conta na música popular mundial. Que as gerações futuras, percebam isso. Ele era um pedaço do Brasil aos olhos do mundo.
Desse Brasil que canta e que é feliz, como ele cantava…

Quando descobri as muitas músicas do Brasil em 1990, até hoje, eu, como muitos bons alunos estrangeiros, comecei por me deixar levar pela Bossa Nova, essa música que mistura as harmonias complexas do jazz («Chega de Saudade»: 28 acordes por um minuto e 59).
Um pouco como, em 1975, fiz as minhas aulas «pop rock» com os Beatles.

Affiche Viva Brazil 1990
Durant quelques anées, “Viva Brazil”, était, avec Montreux, le festival numéro 1 à Bruxelles

O acaso fez com que, nesse mesmo ano, João se apresentasse no Palácio das Belas-Artes de Bruxelas, para um concerto maratona, acompanhado pela sua primeira esposa, Astrud Gilberto (nascida Astrud Angelina Weinert, em 1940, no Estado da Bahia).
Acabava de ocorrer na Alemanha problemas técnicos no aeroporto de Frankfurt, que a trouxeram para a capital belga mais de uma hora atrasada.
João teve o respeito de continuar jogando (recebendo notícias da situação).
Depois de mais de duas horas e 45 minutos, metade do público perdeu a paciência, foi embora,mas tomei a decisão feliz de esperar.

  Bryan Ferry, tournée 2019, Bruxelles (photo Daniel Achedjian) Falar de
Le nouveau linup du Fleetwood Mac (photo internet) Pois sim, na
Djavan (photo Daniel Achedjian) L’aptitude de certains grands artistes (les autres nous intéressent moins !), ne
[caption id="attachment_7867" align="aligncenter" width="425"] Japan, David Sylvian, mi- glam, mi- nouveau romantique Existem artistas e