Perfil

Daniel Achedjian
Daniel Achedjian

Nascido em Bruxelas, Daniel Achedjian, jornalista graduado em História da Arte pelo Institut Royal des Beaux Arts (Instituto Real de Belas Artes), sempre esteve ligado à música. Radialista em diversas estações, além de resenhista de rock e soul anglo-americanos na década de 80, para a revista belga Télémoustique, ele descobre o Brasil e sua cultura a partir de junho de 1989.

Realiza mais de 40 viagens ao eixo Rio-São Paulo, ao longo das quais enriquece seus arquivos essenciais de maneira consistente, sendo esse acervo atualmente composto de mais de 10.000 álbuns, algo em torno de 1.000 dvd’s musicais, e de uma boa centena de obras ligadas de alguma forma à Música Popular Brasileira. Junte-se a isso, ainda centenas de horas de programas gravados em bons e velhos VHS.

Em junho de 2003, Daniel decide dar vida à sua paixão brasileira através das ondas hertzianas. É a partir da transmissão de «Aquele Abraço», via «Alma/si», a rádio hispânica de Bruxelas, que ocorre sua estréia independente. Em seguida, visando um público mais amplo, ele lança em 2004 o programa «Tropicalia Mpb», pela Radio Judaica da Bélgica, ainda no ar atualmente. São três horas de transmissão semanal (disponíveis nesse site e no podomatic) que permitem revelar um Brasil musical desconhecido para os europeus.

Em novembro de 2004, ele efetua uma viagem determinante, durante a qual encontra os presidentes das gravadoras de discos – «Majors» e independentes – e historiadores da MPB, bem como uma multidão de artistas: desde os grandes nomes da Bossa Nova, do samba, e da MPB tradicional, até os jovens artistas menos conhecidos ou pertencentes às cenas alternativas do Rio e de São Paulo. Ele continuará, a cada nova viagem, a amplificar seus contatos e a colecionar mais e mais entrevistas.

Em fevereiro de 2008, paralelamente ao programa de rádio, o blog bilíngue (fancês / português) «Art et Musique Populaire Brésilienne» veio à luz, antes do nascimento, em abril de 2011, do site «Tropicalia Mpb», resultado da vontade de oferecer uma melhor visibilidade de seu trabalho jornalístico.

Um trabalho, sem dúvida; mas sobretudo uma paixão, que não deixa de ser intrigante para os próprios brasileiros, como testemunhado através de diversos artigos publicados a seu respeito. Dentre os mais significativos, encontram-se o de 13 de março de 2004, no antigo «Jornal do Brasil», versão física nas bancas, assinado por Ivna Maluly (que, infelizmente não está mais disponível on line como o do 10 de outubro de 2007 na versão «online» do jornal «O Globo»); e, mais recentemente, também no jornal «O Globo», só que na sua tradicional edição impresso, num artigo no “Segundo Caderno” (suplemento cultural), sendo esse assinado pelo jornalista musical Antonio Carlos Miguel*, na edição de 26 de janeiro de 2011.

Olga Pereira Costa, roteirista e script doctor.Colaboradora deste site.

*A.C. Miguel que pediu também ao belga, a visão que ele teve de 2013, AQUI